MATO GROSSO DO SUL, terça-feira, 11 de dezembro de 2018 - BOM DIA!   
 P r i n c i p a l
 I n s t i t u i ç ã o
 E s t a t u t o
 H i s t ó r i c o
 D i r e t o r i a
 C a d e i r a s
 N o t í c i a s
 I m a g e n s
 A r t i g o s
 S u p l e m e n t o
 R e v i s t a s
 W e b - M a i l
» MEMBROS


LÉLIA RITA DE FIGUEIREDO RIBEIRO

   




LÉLIA RITA F. RIBEIRO
Academia Sul-Mato-Grossense de Letras – Cadeira nº 27


   


   Endereço:
   Avenida Afonso Pena, 3900
   Centro - CEP: 79020-001
   Campo Grande (MS)

   Contatos:
   Tel. - (067) 383-2434
   e-mail: lelia.rita@uol.com.br

   Lélia Rita tem atuado em diversas áreas culturais e artísticas de Mato Grosso do Sul.
   Realizou programa e projetos de Levantamento do Patrimônio Histórico, cultural e artístico de MS (1980/82).
   Presidiu a Associação de Artistas Plásticos, como fotógrafa, tendo idealizado e executado programa de Expedição Cultural/ Artística, itinerando por várias cidades e estados do país e aldeias indígenas, integrando os mais diversos setores de vida cultural e artística, para revelar e difundir o Mato Grosso do Sul e sua bela natureza.
   Publicou os livros:
   Amor em todos os Quadrantes - Poesia - Edição da Autora (1977);
   Estação Provisória – Poesia - Edição Masao Ohno (1983); Cantos Gritos & Tombos, em parceria com sua filha Dora Ribeiro – Edição da Autora (1986);
   O Homem e a Terra – Editora do Senado Federal - Síntese da História de Mato Grosso do Sul;
   Cantando a Terra Mato-grossense, publicado pela Revista do Instituto Histórico de Mato Grosso (1998).
   É autora da Criação poética projeto e produção da Cantata
   Cênica “Peabiru - A Conquista do Novo Mundo,” (2000), com patrocínio da Petrobrás, Eletrobrás e Governo de MS.
   Obs: (Conforme consta no Portal movimento.com, obra vocal Peabiru, composta pelo professor João Ripper, é detentora do primeiro prêmio no 1º Concurso de Composição da Cidade do Rio de Janeiro - Rio Arte - e do 3º prêmio no segundo concurso da mesma entidade. Com texto da poetisa Lélia Rita Figueiredo Ribeiro, a obra retrata os 500 anos do Descobrimento do Brasil e os 250 anos da Capitania de Mato Grosso).
   Criação Fundação e Direção (1996) da Casa da Memória Arnaldo Estevão de Figueiredo, que destina-se a resgatar, difundir e desenvolver a memória, o ambiente e o turismo de MS.
   Para a Casa da Memória são endereçadas atualmente todas as suas atividades. Um dos principais programas da Casa da Memória é o de resgate e difusão em parceria com o Projeto Resgate Barão do Rio Branco/Ministério da Cultura (1996/2000), de Documentos Históricos de MS, dentre os quais destaca-se o dos 2221 Documentos Históricos Coloniais da Capitania de Matto Grosso depositados no Arquivo Histórico Ultramarino de Lisboa.

   Pertence à Associação Brasileira de Críticos de Arte (Seção Estadual de Mato Grosso do Sul).

   

 
Voltar

Academia de Letras


Copyright Academia Sul-Mato-Grossense de Letras
Todos os direitos reservados

::Webmaster::